O canal preferido da população é o telefone 197, com quase metade dos registros (45,75%). O WhatsApp é a segunda forma mais utilizada pela população. Corresponde a 23,42% | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Diariamente a população do Distrito Federal denuncia pelo menos 68 supostos crimes à Polícia Civil (PCDF). Números que fazem com que esse contato popular seja considerado “olhos da polícia” para a elucidação de casos importantes. São denúncias que vão desde maus-tratos a animais até tráfico de drogas e infrações de medidas sanitárias.

Até o dia 8 deste mês, 4.555 casos foram registrados junto aos canais da corporação, uma média de quase três registros (2,83) por hora. O tráfico de drogas lidera o ranking de denúncias em 2021, com 1.514 casos. Em seguida, vêm os de maus-tratos a animais (1.121); violência doméstica (505); infrações de medidas sanitárias (442) – entre elas denúncias de descumprimento de decretos – ; violência contra idosos (386); maus-tratos a crianças (188) e foragidos e procurados (185).

“A população acaba sendo os olhos da polícia, já que não podemos estar em todos os lugares. Eles visualizam o crime e nos encaminham muitas fotos e vídeos de casos de tráfico de drogas, por exemplo. Eles também ajudam quando o rosto de um foragido é divulgado”Josafá Leite Ribeiro, diretor da Divisão de Controle de Denúncias, do Departamento de Inteligência e Gestão da

Ceilândia lidera os registros, com 16,22%, seguida por Samambaia (8,61%) e Taguatinga (7,71%). O canal preferido da população é o telefone 197, com quase metade dos registros (45,75%). O WhatsApp é a segunda forma mais utilizada pela população. Corresponde a 23,42%. No ano passado foram feitas 23.450 denúncias à PCDF, uma média de 64 registros por dia. Dados que a Polícia Civil considera essenciais para prender os criminosos e encaminhar os casos à Justiça.

“A população acaba sendo os olhos da polícia, já que não podemos estar em todos os lugares. Eles visualizam o crime e nos encaminham muitas fotos e vídeos de casos de tráfico de drogas, por exemplo. Eles também ajudam quando o rosto de um foragido é divulgado”, assegura Josafá Leite Ribeiro, diretor da Divisão de Controle de Denúncias, do Departamento de Inteligência e Gestão da Informação (DGI).

As denúncias recebidas pela PCDF são registradas em um sistema on-line. Em seguida, os policiais fazem um resumo detalhado de tudo o que foi passado pelo denunciante e dão prosseguimento à investigação.

Como denunciar

A PCDF dispõe de quatro canais para recebimento de denúncias: além do 197 Denúncia On-line, o telefone 197 opção 0 (zero), o e-mail e o WhatsApp (61) 98626-1197. Além desses canais, a PCDF também acolhe as denúncias feitas pelo Disque 180 (Canal de Atendimento à Mulher) e Disque 100 (Direitos Humanos), ambos do governo federal.

Por esses canais é possível manifestar situações de foragidos da justiça e crimes que já ocorreram, que estão em andamento ou que se saiba que o planejamento. Não é necessário se identificar e o sigilo é absoluto.

Para facilitar as investigações, a PCDF pede que o denunciante forneça o maior número possível de informações, como: endereço completo, ponto de referência, nomes, apelidos, características físicas, placas de veículos, vídeos, fotos, etc. É possível até anexar fotos ou vídeos no caso das denúncias on-line. Na ficha de descrição do site, o denunciante deve colocar o local/endereço onde ocorreu o crime, estado, cidade, bairro, o tipo de crime e se o autor é menor de idade ou não.

Fonte: Agência Brasília