O Governo do Estado, por meio da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) realizou, em 2020, um total de 2.456 atendimentos a instituições filantrópicas. Um apoio fundamental para que elas continuassem com a missão de ajuda ao próximo, em meio às incertezas sentenciadas pelo novo coronavírus.

Desde o início da pandemia, essas entidades sociais, que acolhem idosos, crianças e pessoas com deficiência, sofrem com a redução no número de doações e a falta de fundos para manter projetos e dar continuidade ao trabalho.

As entidades receberam capacitação e assessoramento que as auxiliaram na regularização da documentação necessária para funcionamento e inserção em programas sociais;  além de doações de alimentos, cobertores, leite, cadeiras de rodas e de banho, muletas, andadores, bengalas, fraldas descartáveis (geriátrica e infantil), colchões d’água e do tipo caixa de ovo, cobertores e Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

Eleny Lopes Rosa, diretora do Lar de Idosos Amigos de Sempre, que fica no Jardim Mont Serrat, em Aparecida de Goiânia, conta que a suspensão das visitas nas Instituições de Longa Permanência de Idosos (IPLI), por conta da pandemia, provocou queda no número de doações de pessoas físicas e jurídicas.

“Vivemos de doações e, na nossa entidade, elas reduziram cerca de 90%. Por isso, essa parceria com a OVG tem sido tão importante. Nós recebemos cobertores, cadeiras de rodas e de banho, cobertores, fraldas geriátricas e cestas básicas. Com essa ajuda, pudemos melhorar a alimentação dos nossos 40 idosos e, assim, contribuir para a melhora da imunidade de pessoas tão fragilizadas”, comenta.

No Abrigo Comendador Walmor, no Jardim Riviera, também em Aparecida de Goiânia, o auxílio da OVG, além de contribuir para a continuidade do atendimento de 53 idosos, ainda permitiu que outros 13, que viviam em um abrigo clandestino, fossem acolhidos em plena pandemia de Covid-19. São homens e mulheres, com mais de 60 anos, agora amparados com dignidade e carinho. Segundo Irene Rodrigues Pereira, diretora da instituição, o apoio da OVG tem sido fundamental para o funcionamento de muitas entidades sociais. 

“Nós usamos o dinheiro que gastaríamos comprando os itens que ganhamos com medicação e produtos de higiene e limpeza. Também não atrasamos o salário dos nossos colaboradores, isso permite uma assistência com mais qualidade. E, por último, podemos dizer, com alegria, que em tempos tão difíceis, com a alimentação tão cara, mantivemos qualidade no que colocamos na mesa”, enfatiza.

Proteção e cuidado

A presidente de honra da OVG e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais, primeira-dama Gracinha Caiado, diz que o Governo de Goiás trabalha para oferecer dignidade, cuidado, afeto e amor para quem mais precisa. “Valorizamos e nos preocupamos com a sobrevivência das instituições que estão na ponta dos atendimentos às populações mais vulneráveis. Acreditamos que o bem-estar coletivo depende de como nos importamos com quem mais precisa”, diz Gracinha Carvalho Caiado.

Diretora-geral da OVG, Adryanna Melo Caiado explica que, durante a pandemia, a Organização manteve as portas abertas e reforçou sua atuação para atender as entidades sociais. “Reorganizamos nossas equipes e atividades, tomando diversas medidas para proteger a todos e continuar com a nossa missão. E com a ajuda de vários parceiros, conseguimos seguir cuidando daqueles que, mais do que nunca, precisam do nosso apoio”, completa a diretora-geral.

Foto: Aline Cabral

Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) – Governo de Goiás

Fonte: Portal Goiás

Deixe uma resposta